Imprimir Imprimir

Estudos da biodiversidade amazônica integrando pesquisas

2011-05-06 - 16:03:36


COMPARTILHE:

 

O INCT CENBAM tem por objetivo integrar as pesquisas biológicas na Amazônia em cadeias eficientes de produção científico/tecnológica


Por Jéssica Vasconcelos

Na sequência do Seminário de Avaliação dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCTS) promovido pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), o coordenador do INCT de Estudos Integrados da Biodiversidade Amazônica (CENBAM) William Ernest Magnusson, destacou em sua apresentação os resultados conquistados até aqui e lembrou que graças aos esforços da equipe de 109 pesquisadores e não do repasse financeiro as pesquisas tem avançado.

O CENBAM tem por objetivo integrar as pesquisas biológicas na Amazônia em cadeias eficientes de produção científico/tecnológica, pois atualmente a biodiversidade amazônica não está sendo conservada ou explorada de forma eficiente por falta de conhecimento. O CENBAM atua em núcleos regionais no Amazonas, Roraima, Amapá, Rondônia, Acre e Mato Grosso, promovendo a capacitação de recursos humanos locais em diversos níveis.

Siga o Inpa no Twitter

O programa INCT foi criado em 2008 pelo CNPq e o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), com o objetivo de mobilizar e articular em redes os melhores grupos de pesquisa, dos cinco INCTs existentes no Amazonas quatro estão no Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCT).

Cursos e treinamentos

Segundo William Magnusson, a grande oferta de editais e bolsistas tem permitido que os pesquisadores complementem seus trabalhos. O CENBAM possui mais de 30 artigos científicos e livros publicados e realiza diversos cursos e palestras como a I Reunião CENBAM que aconteceu em outubro de 2010 na cidade de Boa Vista.

Com o apoio de mais de 20 instituições parceiras entre elas a Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Universidade Federal do Acre (UFAC), Universidade Federal de Roraima (UFRR), Universidade Federal de Rondônia (UFRO), Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT) mais de 40 alunos de iniciação cientifica, mestrado e doutorado já formaram ou estão em formação trabalhando nas linhas de pesquisa.

Foto da chamada: Eduardo Gomes

Veja também:

Serviços ambientais para conservação da floresta

INCT Madeiras da Amazônia: o combate ao desperdício da indústria madeireira

As adaptações da biota aquática Amazônica abrem discussões em seminário